Desenvolvido na UnB, unicórnio brasileiro tem potencial para revolucionar agronegócio

Krilltech, empresa especializada em nanotecnologia, já está avaliada em mais de R$ 1 bilhão. Iniciativa aposta na arbolina como biofertilizante do futuro.

Uma tecnologia inspirada na natureza, em escala infinitamente pequena, mas com potencial de revolucionar a agroindústria brasileira e até mundial. Essa é a arbolina, biofertilizante nanotecnológico que motivou a criação da Krilltech – empresa de tecnologia no ramo do agronegócio (AgTech) –, originada como startup na Universidade de Brasília, por meio de parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Desenvolvido no Instituto de Química (IQ) da UnB por pesquisadores sócios da empresa, o produto é inovador em todos os seus aspectos, pois é puro, atóxico, não bioacumulável e luminescente, sendo capaz de enriquecer alimentos com micro e macro nutrientes e aumentar as produções de diversas culturas.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Fonte: UNB